Quer participar neste blog, tem alguma ideia ou sugestão para dar? easylado@sapo.pt

.Posts mais comentados

129 comentários
21 comentários
13 comentários
8 comentários
7 comentários

.posts recentes

. Individualismo-social

. Fidel Castro

. Se não estiveres a lutar...

. Lock her up? Não obrigado...

. A lei e a religião (o cas...

. É claro temos défice

. E ainda as eleições de 20...

. O Bolo-Rei

. Vota Bloco de Esquerda

. Eleições Legislativas 201...

Pesquisa personalizada
Domingo, 23 de Novembro de 2008

Está um belo dia de Novembro

Pode parecer a coisa mais idiota do mundo, escrever sobre o tempo.. como se a imaginação não chegasse mais longe ou não tivesse nada mais importante em que pensar.

Seja como for, este texto não é sobre o tempo em geral, mas apenas sobre os dias de chuva. É que sendo Portugal um país com chuva durante um terço do ano, o português, este português pelo menos, só se alegra quando o sol irradia pelo céu fora sem a interrupção das cinzentas, brancas, ou azuis nuvens.

De facto a chuva traz(-me) um sentimento taciturno, de depressão, de aborrecimento – que maçada, tenho de ir agarrado a um guarda chuva e embrulhado num casaco, se quero ir lá para fora e escapar impune a este dia. Pura e simplesmente não gosto de dias de chuva, deixam-me em baixo e sem vontade de fazer nada.

Mas.. consideremos o que nos vêm ensinando os mais velhos. BJ Thomas diz que “os blues” não o irão vencer porque a felicidade vem a caminho e não fica triste com as gotas de chuva a caírem-lhe na cabeça porque não são elas que o vão fazer chorar. Ao fim e ao cabo ele é livre e nada o preocupa. Outro exemplo é o de Gene Kelly, que se dá até ao trabalho de cantar na chuva. Porquê?? Por um lado porque assim lhe mandaram os criadores do filme em que canta, por outro, porque ele está feliz de novo e a rir-se das nuvens escuras lá em cima.. tudo isto porque está pronto para o amor. Tolo? Talvez, mas assim dizem que é a felicidade. Um último exemplo é o de Judy Garland que canta da chuva num dia de sol. Resultado? Um arco-íris para além do qual ela encontra uma terra de que ouviu falar numa canção de embalar. Lá os céus são azuis e os sonhos que nos atrevemos a sonhar tornam-se mesmo realidade. Afinal, se os passarinhos felizes cantam para além do arco íris, porque não podemos nós?

Olhando bem o que se disse outrora, é de facto essencial olhar a chuva com algum optimismo e ver o seu lado positivo, que mais cedo ou mais tarde ela vai embora.

Está um belo e solarento dia de Novembro. E eu vou sair e apanhar sol.

publicado por Bruno C. às 12:57
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

.links

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.participar

. participe neste blog

.mais sobre mim

Twingly BlogRank Estou no Blog.com.pt Blog Flux Directory BRDTracker Central Blogs Page Rank

.arquivos