Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Festa do Corpo de Deus

15.06.06 | Bruno C.
"If all the achievements of scientists were wiped out tomorrow, there would be no doctors but witch doctors, no transport faster than horses, no computers, no printed books, no agriculture beyond subsistence peasant farming. If all the achievements of theologians were wiped out tomorrow, would anyone notice the smallest difference?"
Richard Dawkins

1º Jogo!

12.06.06 | Bruno C.

Os jogadores:

Ricardo (Não fez nada, tambem não precisou!)
Fernando Meira (Pouco trabalho)
Miguel (Nada de especial)
Nuno Valente (Algumas subidas pelo flanco)
Ricardo Carvalho (Pouco trabalho)
Figo (Deu duas corridas e morreu o resto do jogo)
Petit (Jogou?)
Tiago (Jogou?)
Pauleta (Depois do golo nunca mais fez nada)
Simão Sabrosa (Esforçado, mas inconsequente)
Cristiano Ronaldo (Jogou para a fotografia)

Costinha (Deu alguma consistência ao meio-campo)
Hugo Viana (Jogou?)
Maniche (Fez um remate)

O treinador:
Não cometeu os mesmos erros da primeiro jogo do Europeu, pôs em campo os jogadores que estão melhores fisicamente. Não sabe o que fazer sem o Deco, ontem tentou o Figo, o Tiago e por fim o Viana e não acertou...

Comentário Geral:
É uma vergonha uma equipa como Portugal só ganhar 1-0 a uma equipa de amadores. Se foi assim que Angola chegou ao mundial tenho muita pena das equipas africanas. Os jogadores portugueses estiveram duas velocidades: parado e devagarinho. Sem uma jogada com pés e cabeça. Muito mau, parecia um jogo de solteiros contra casados...

A Selecção?

06.06.06 | Bruno C.
Eu já via com alguma preocupação o estado de folia e euforia que se viveu no passeio que o GAS (Grupo de Amigos do Scolari) fez até a Évora, mas pelos visto ainda acontecem coisas mais idiotas com a passividade da nossa (inexistente, como diz o Rui Santos) comunicação social. Nas conferencias de imprensa da nossa selecção (não sei o que é que os jogadores tem para dizer nas conferencias diárias! Diárias! não tem mais nada para fazer?) está lá um senhor que dá pelo nome de Afonso Melo que tem por missão escolher as perguntas que os jogadores podem responder! Mas isto faz sentido? E os jornalistas permitem que a selecção faça censora activa, mais que activa, na cara deles e engulam caladinhos e ainda ficam com sorrisinhos e voltam às perguntas parvas como "como se sentiu ao chegar à Alemanha?"!!!! Faz falta um 25 de Abril no futebol...

Filme XIX

03.06.06 | Bruno C.
Mais um filme de mutantes! Com muitos efeitos especiais, é um filme para entreter as massas. Sem grandes preocupações de outra ordem, como a fidelidade à banda desenhada. Com tantas personagens a desaparecer nem sei como vão fazer o quarto da série! Não vale a viagem para ir ver ao cinema!

Estreia em Portugal: 25 de Maio de 2006
Nota Final: 7/10

O Primeiro Veto!

02.06.06 | Bruno C.
Cá está! Finalmente Cavaco Silva começa a mostrar a verdadeira face! Este veto contra a Lei da Paridade demonstra claramente que Cavaco está a tento e não vai deixar passar nada remotamente passível de alterar o estado das coisas. A justificação é de rir, por causa das sanções! Ora bolas legislar e depois não punir os faltosos é muito boa!
Ao vetar esta lei o presidente vota a atrasar a entrada e a participação das mulheres na vida política activa. Só quem não quer ver é que acredita, que nesta sociedade patriarcal (para não dizer machista), que sem as cotas as mulheres vão conseguir participar sem estraves. E quanto ás mulheres que se sentem mal com as cotas, que não querem ser vitimas de descriminarão positiva e que tem capacidade para vencer sem ser pelas cotas, fiquem a saber que existem muitos homens incompetentes nas listas e substitui-los por mulheres não era nada mau. E mais, sem cotas fiquem bem cientes que eles nunca de lá vão sair. Em Portugal só impondo é que as coisas acontecem, e mesmo assim é muito devagar.
Mais uma vez não se faz nada em Portugal, tudo fica na mesma...
É bom que não se esqueçam que quando não se faz nada favorece-se o mais forte.