Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Diz-se!

17.10.06 | Bruno C.
" Sinto-me o Rui Costa da RTP" Júlio Isidro TV Guia, 15-10-06

Presumo que quer dizer que está demasiado velho para o seu trabalho e que passa mais tempo a curar lesões do que a jogar...

Nunca fechará!

12.10.06 | Bruno C.

Depois do Purgatório a Igreja acabou de vez com o Limbo, mas não ele nunca fechará, nunca, enquanto este homem, David Hasselhoff, continuar a contar e encantar com o seu hit e o senhor Papa Bento XVI não tem nada a haver com isso...

Opiniões

10.10.06 | Bruno C.

Cada um tem a sua opinião, é certo, e tem todo o direito em tê-la. Isso faz parte de cada um e tem o direito de partilha-la com quem quiser. Agora quando se escreve um editorial numa revista que pretende ser de referencia temos que pensar duas vezes no que vamos escrever. Opiniões não fundamentadas e sem conhecimentos serve para as conversas com os amigos e mesmo assim... Mas quando vamos escrever a nossa opinião num sitio onde milhares de pessoas vão ler temos que ter cuidado. E procurar dar uma opinião alicerçada em factos, ora o que o senhor Vítor Rainho fez na revista Tabu da última edição do semanário Sol foi uma clara demonstração do que de mais pobre e fraco tem o panorama jornalístico. Foi um editorial que apenas serviu para destilar ódio e atacar da maneira mais fácil e básica uma actividade que em Portugal ainda é pouco divulgada e ainda alvo de preconceitos. Procurem perceber primeiro o fenómeno e só depois emitam as vossas opiniões.

Vasco "Ódio-Pulido" Valente

07.10.06 | Bruno C.

Existem um senhor que de tempos a tempos sai, subrepticiamente, da sua gruta para destilar todo o seu ódio pelo mundo e por todas as formas de vida em geral! Na sua crónica no jornal “Público”, de sexta-feira, podemos ler:
Contra tudo e  todos:
Não existe um partido, um político, um ministro, um autarca que se possa considerar inocente de que se passa hoje (em Portugal).”
Da defesa intransigente e cega do Estado-Providência ao mais lunático liberalismo, nada se discute com um módico de inteligência e lógica.”
Contra Cavaco:
De Belém não saiu a sombra de uma ideia, o mais vago indicio de uma vontade.
Contra Socrates:
 “..., já sem a força demagógica do principio, trata de cortar um vintém aqui e ali, sem um propósito visível ou um método constante...
Dizem, que quando conseguirmos converter o ódio deste senhor em energia Portugal deixa de depender do resto do mundo...