Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Marcelo Hard!

05.02.07 | Bruno C.
O MRS não gosta desta pergunta, tudo bem, mas ela não é exactamente igual à de 1998! Altura em que a discutiu, pois era líder do PSD, e acordou com o PS. Agora vem dizer que é mentirosa?
Já agora, aproposito do sim “hard” e “light”, não será a sua posição, de ser a favor da despenalização mas contra esta pergunta um Não “Light” para ganhar mais uns votos, comparado com o Não “hard” defendido por César das Neves e Alexandra Teté, onde querem comparar as mulheres a homicidas e não prever qualquer excepção para a IVG?
Ficam as perguntas.

Pessoas qualificadas e o Ministro da Economia

04.02.07 | Bruno C.
Estou com o ministro e com Sócrates nesta matéria. Só consigo conceber as críticas que surgiram como políticas de terra queimada, e num país que necessita de pessoas sérias está a causar-me alguma preocupação. Parece que não há mais nada para falar, ataca-se tudo o que vem do governo sem parar para pensar, fica bem atacar.
O que o ministro disse faz todo o sentido, em Portugal os salários são mais baixos que nos países europeus ao nível das pessoas qualificadas, é mesmo assim, não vem de uma política de salários baixos é uma imposição de uma economia que está em défice. Se fosse uma política de salários baixos não existiria um salário mínimo estipulado pelo governo.
Não fomos à China dizer que tínhamos salários baixos isso tem a China!, o que nós temos é pessoas qualificadas a um preço mais competitivo do que nos outros países europeus e por isso somos atractivos para os chineses. Pelo menos temos que aproveitar até eles ficarem qualificados. Se Portugal atrair muitos investimentos a economia irá crescer e com isso irá levar a um aumento dos salários. Não podemos ficar à espera que chova, temos que ir onde existe o dinheiro e promover o que é nosso.
Só tenho pena que os partidos da oposição e os sindicatos não compreendam a realidade e continuem a querer salários mais altos sem as condições económicas para os suportarem, é necessário encarar a realidade, mesmo não gostando dela, e tomar as decisões certas.

Ainda sobre IVG

03.02.07 | Bruno C.
Caro joao vou pegar no seu comentário a este meu post (uma brincadeira que passou a ser um dos mais controversos de sempre!) para deixar aqui mais umas opiniões sobre o IVG.
Diz que devemos “penalizar os responsáveis por aparecimento de um feto indesejado que é abortado.” Penalizar como? Como o senhor Bagão, pô-las a fazer trabalho comunitário, haverá maior humilhação que isso? Só se as puserem em maternidades, mas da boca do Bagão já espero tudo. Ou manter a lei actual, já as estamos a penalizar, a elas e a quem as ajuda.
Acha também que existem atenuantes para as IVG, pelo menos não é tão opressor como a linha César das Neves, as previstas na lei, mas não deixa de as considerar um “Homicídio involuntário por parte de um inimputável”. Para mim discutível não é o uso do termo involuntário, o problema é mesmo o Homicídio. Com esta afirmação acha que fazer uma IVG é o mesmo que matar uma pessoa. Acha que um feto, embrião é exactamente igual a uma pessoa nascida. Não podemos deixar de reflectir que no extremo como disse Alexandre Quintanilha os espermatozóides e os óvulos também são vida humana, pois não podemos ter vida humana fruto de uma união de coisas não humanas. Também vai advogar as relações sexuais só tendo em vista a procriação? Se sim é um hipócrita.
Mas o que mais me choca na sua argumentação é a sua quase inquisitória perseguição das pessoas que do seu ponto apresentam comportamentos de “irresponsabilidade e/ou ignorância”. Vamos vetar a procriação aos estúpidos? Ou será que é preciso tirar um curso para se ter relações sexuais? E mesmo que assim fosse acha que as situações de gravidezes indesejadas nunca iriam acontecer? Ou é da linha da Alexandra?
Acho muito bem que se façam, devia ser obrigatório, “campanhas de sensibilização, instaure-se a educação sexual nas escolas. Explique-se aos jovens (e aos menos jovens) como é feito o aborto ilegal, quais as questões físicas e morais envolvidas.” Espero que não seja daqueles que se opõem a Ed. Sexual e a tudo que seja informação sobre o sexo e que agora dizem que não existe e deve existir. Mas mesmo que isso seja implementado não vai fazer com que as coisas não possam acontecer. Conhece algum método que seja eficaz a 100%? Sem ser a abstinência, que isso é ridículo. Eu não conheço, porque não existe nada eficaz a 100% e é por isso não podemos condenar as pessoas fruto de uma coisa que pode acontecer por um simples acaso, isso eu não faço.
Não entendo com querem penalizar uma coisa que não consideram crime.

Pág. 5/5