Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

SL Benfica x FC Porto

03.04.07 | Bruno C.
O senhor Pinto da Costa e a SAD do FC Porto em vez de andarem a queixar-se da segurança no jogo deviam era estar calados e pedir desculpas pelas atrocidades que a sua claque protagonizou durante o clássico.
É preciso ter uma grande lata para mandar "pedras" aos outros em vez de punir a sua própria claque. Está visto que as relações já estão outra vez boas entre dirigentes e claque (será que alguma vez estiveram mal?)
Depois andam todos preocupados com a violência e que as pessoas não vão aos estádios...

Momento Taser na Nuca...

03.04.07 | Bruno C.
Dois amigos estão no discoteca.

Um dele vai até ao bar e pede dois finos. De uma assentada bebe logo um dos finos e volta para a pista com o outro fino na mão.
Vendo isto o amigo diz: - Porque é que bebeste logo um fino de rajada?
Ao que ele responde: - Não gosto de vir para a pista com copos nas duas mãos.

Estavam há espera de outra resposta? Eu não!

Atletas Especiais

02.04.07 | Bruno C.
Existem atletas que são especiais, que têm algo que os separa dos outros. No fim-de-semana passado tivemos a oportunidade de ver três demonstrações fantásticas.
A norte-americana Serena Williams, que já tem no seu palmarés 3 Australian Opens, 1 Roland Garros, 2 Wimbledons e 2 US Opens, mostrou que está disposta a voltar aos primeiros lugares do ranking mundial de ténis – actualmente na 18ª colocação no ranking mundial da WTA, depois de quase dois anos afastada por várias lesões. Já tendo vencido o Open da Austrália, no início do ano, Williams aumentou para 13 o número de partidas invictas na temporada, ao ganhar em Miami numa das mais fantásticas reviravoltas do ténis. Após perder o primeiro set por 0/6, e enfrentando dois match points a 4/5, ela derrotou, a belga Justine Henin, actual número um do mundo com as parciais de 0/6, 7/5 e 6/3.
A segunda história vem da água! Nas piscinas de Melbourne nos mundiais de natação Michael Phelps ganhou todas as finais que disputou, sim todas! Foram 7 (100 metros mariposa, 200 metros mariposa, 200 metros livres, 200 metros estilos, 400 metros estilos e as estafetas de 4x100 metros livres e 4x200 metros livres), mas não ficamos por aqui, Relativamente a recordes mundiais, Phelps bateu cinco e é o segundo nadador a conquistar sete medalhas de ouro numa só prova, a seguir ao também norte-americano e lendário Mark Spitz. Mas um resultado ainda melhor do que o de Mark Spitz nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972. Phelps conquistou cinco títulos individuais em Melburne, enquanto Spitz “só” ganhou quatro.
Finalmente o último destacado do fim-de-semana foi Sébastien Loeb, o tricampeão continua a fazer história não só elevou o recorde do número de vitórias no Mundial para 31 – Marcus Gronholm e Carlos Sainz somam 26 –, como ainda colocou a prova portuguesa no seu palmarés, a coroar uma manifestação inequívoca de superioridade vencendo o Rally lusitano com 37,1 segundo de vantagem sobre Gronholm e vencendo 11 das 18 especiais.

IVG: Na Polónia

01.04.07 | Bruno C.
O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem condenou a Polónia por ter recusado o aborto legal a uma mulher que corria o risco de cegar na sequência do parto.
Alicia Tysiac, 36 anos, foi obrigada a levar a gravidez até ao fim, apesar de vários oftalmologistas terem alertado para o risco de uma terceira gravidez agravar a sua doença ocular. A previsão dos oftalmologistas confirmou-se: a doença degenerou e Alicia ficou quase cega, não conseguindo distinguir os objectos a mais de um metro e meio.
Agora, o Estado vai pagar-lhe uma indemnização de 25 mil euros.
O tribunal entendeu que o estado polaco violou o artigo 8.º da Convenção Europeia dos Direitos Humanos por não ter assegurado os mecanismos que permitem a uma mulher ter acesso a um aborto legal quando uma gravidez coloca em risco a sua vida ou saúde.

Acho que não preciso de expressar o meu repúdio perante estas leis, a notícia é suficientemente explícita.

IVG: A lei

01.04.07 | Bruno C.
A nova lei da interrupção voluntária da gravidez, ainda da que falar, depois do referendo pensava que tudo iria decorrer normalmente e que a lei seria aprovada e implementada. Estava enganado. Depois do referendo e depois de ter passado na Assembleia da República com os votos favoráveis das bancadas do PS, PCP, PEV, BE e ainda 21 deputados do PSD o decreto descansa nas mão do Presidente aguardando veto ou promulgação. Uma vez que o Presidente da República deixou passar o prazo em que poderia submeter a constitucionalidade junto do Tribunal Constitucional. Só podemos esperar a sua aprovação. Mas apesar de todos estes dados que apontam para um desfecho natural ainda existem uns focos de irredutibilidade do “Não”. Os defensores do “Não” andam a dizer que somam três milhões contra a lei aprovada “ilegitimamente”, dizem eles, pelo Parlamento. Mas como é que eles agora são 3 milhões? Nas palavras de uma maluca deste movimento, Isilda Pegado: “Fomos um milhão e 500 mil portugueses que dissemos não a esta lei. Mas se a nós juntarmos mais um por nascer por cada voto nosso, teremos seguramente mais de três milhões de portugueses”. Este argumento é tão idiota que nem me vou dar ao trabalho de gozar com ele. Mas as anedotas continuam: “Senhores deputados, se querem fazer uma lei sobre o aborto dentro da Assembleia da República, demitam-se e peçam novo mandato aos portugueses”. Que eu me lembre, sim, se a memória não me falha os deputados são eleitos para legislar sobre todas as matérias que importam à nação. Por vezes se um assunto é muito sensível podem pedir a opinião da população, e aqui aparece o Referendo, se pedem o referendo devem agir em conformidade e respeitar os resultados. Não percebo porque é que agora se tinham que demitir por legislar uma lei que foi aprovado pelo povo. Esta senhora não fecha bem da gaveta. Como já disse para mim a lei já devia ter sido alterada e sem o recurso ao referendo, mas isso sou eu a pensar...

Pág. 4/4