Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

Reactor 4

esquerda snowflake, lobo marxista easylado@sapo.pt

A meritocracia é uma ilusão

28.03.10 | Cldsunshine

 

Relativamente à temática do estatuto do aluno, primeiro considero que não podemos comparar a realidade escolar de hoje com a realidade escolar de há 30 ou 40 anos. Hoje contrariamente com há 40 anos, toda a gente vai à escola, não é a penas uma elite. No passado os professores quase que podiam escolher os alunos, hoje têm que trabalhar com crianças com todo o tipo de contexto social e familiar. Esta democratização do ensino, veio obviamente mostrar problemas que antes não se viam.

A acrescentar à democratização do ensino temos o facto das crianças passarem cada vez mais tempo nas escolas. A escola assume hoje um papel que vai além do simples ensino. Hoje a escola tem um papel muito forte na educação. Essa alteração de papeis tem que ser assumida o quanto antes para se poder adequar a actuação da escola. O papel da escola passará por uma actuação muito mais em parceria com os encarregados de educação. A propósito destes, acho que também deveria haver uma formação para os mesmos. Ser pai hoje em dia é um desafio para o qual as pessoas não estão "naturalmente" preparadas e como tal precisam de orientações. Ser-se pai não é algo inato (pelo menos um pai que vai além da simples satisfação das necessidades fisiológicas). É urgente envolver os pais na educação dos seus filhos.

O bullying é de facto um problema social que não se combate com medidas políticas punitivas. Não acho que a solução passe por cortar as mãos a quem dá murros, as pernas a quem dá pontapés e cortar o dinheiro para comida a todos. Neste caso, tal como na maioria das problemáticas sociais há que apostar primeiro na prevenção destes comportamentos (apoio psicológico tanto a vitimas como a agressores, educação para a cidadania, etc). Como não defendo o método punitivo não acho que o estatuto do aluno o deva ser. Acho que ele se deve adequar o mais possível às necessidades dos alunos.

Para Paulo Portas “o mérito tem de estar presente nas escolas” (dito na assembleia da república), pois caro Portas, a meritocracia é uma ilusão. Devemos elogiar aqueles que mesmo tendo tudo contra conseguem triunfar, mas não devemos criticar aqueles que não conseguem lutar contra o sistema. Vivemos num salve-se quem puder e na era das cunhas.